terça-feira, 7 de agosto de 2018

Descubra o legado de Ana das Carrancas em Petrolina

Fachada do Espaço Ana da Carrancas, na cidade de Petrolina. (Foto: Juntando Mochilas)

Uma das atrações imperdíveis em Petrolina é o Centro Cultural Ana das Carrancas, dedicado à vida e à obra da artesã ceramista pernambucana que ficou conhecida no mundo inteiro pelo seu trabalho com o barro.
Nascida no município de Ouricuri, Ana Leopoldina dos Santos era filha de artesã e sempre se interessou pelo trabalho da mãe. Aos 7 anos já produzia os próprios brinquedos com o barro. Muito jovem, Ana casou e teve duas filhas, mas quis o destino que sua sorte mudasse. Enviuvou cedo e, em seguida, conheceu José Vicente de Barros, que a levou para viver em Petrolina. Nesta época, Ana era louceira e fazia panelas de barro que eram vendidas na feira livre.
Um dia, preocupada com a falta de recursos, pediu aos céus uma ideia, uma luz. Foi quando, ao ver passarem as barcas, as carrancas chamaram a sua atenção. Para quem não conhece a história das carrancas, são bichos muito feios, feitos de madeira, que são colocados à frente das embarcações para espantar a má sorte. Ana esculpiu o barro em forma de carranca, furou os olhos, em homenagem ao marido Vicente, que era cego, e levou as peças para vender na feira. Levou nome de louca. Foi alvo de chacota, mas não se deixou abater.
Quando sua arte chegou até as universidades e curadorias, seu nome explodiu. Ana, que já havia sido 'Ana do cego', 'Ana Louceira' e 'Ana das Carrancas', virou a Dama do Barro. Teve o nome estampado até em revistas como a Rolling Stones, de New York.

O Centro Cultural tem um pequeno museu com peças originais de Ana e peças de suas filhas a venda. (Foto: Juntando Mochilas)

O Espaço

Dividido em 3 ambientes, o Centro Cultural funciona na casa onde morava Ana. A casa principal abriga um pequeno museu dedicado a Ana, com fotos, peças originais doadas por colecionadores, troféus, comendas. O segundo ambiente é o ateliê, onde as filhas de Ana reproduzem carrancas de todos os tamanhos e com temáticas diferentes, mas sempre conservando os olhos furados, característica maior do trabalho da mãe. O terceiro espaço é uma lojinha, onde são vendidos os produtos.

Antigo forno de Ana ainda é utilizado por suas filhas na confecção de carrancas.  (Foto: Juntando Mochilas)


Visitação

Se você vai a Petrolina e quer conhecer o Centro Cultural Ana das Carrancas, é só chegar lá no número 500 da BR-407, no bairro da Cohab Massagano em Petrolina, de segunda a sexta, das 8h às 18h. Se uma das filhas de Ana estiver no local, aproveite para conversar. Além de serem de uma simpatia absoluta, são o tipo de pessoa que você quer ter amizade só pra passar o resto do dia ouvindo suas histórias fantásticas. Ah! E não deixe morrer o nome de Ana! Leve uma carranca pra casa!

Maria da Cruz, filha de Ana das Carrancas, faz o que for preciso para não deixar que a mãe seja esquecida. (Foto: Juntando Mochilas)


Nívia Gouveia é jornalista e travel-writer.
Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, Nívia pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo
design + código gbml