segunda-feira, 4 de junho de 2012

O Rio de Janeiro de Machado de Assis


Nívia no Rio de Janeiro, em 2007.
Como sou apaixonada pela obra de Machado de Assis, resolvi montar meu roteiro de forma que conhecesse lugares que ele cita em seus livros, locais pelos quais passou e que são, de certa forma, marcantes para seus leitores. Então, se você, assim como eu, gosta do Velho Bruxo, vale a pena conhecer estes lugares:


Rua Cosme Velho, nº 18, Laranjeiras

A casa onde morou Machado de Assis não existe mais.
Foi o endereço em que Machado morou depois que se casou com a portuguesa Carolina, seu primeiro e único amor. A casa já foi demolida e hoje em dia há um edifício horroroso no lugar. O nome do edifício não tem nada a ver com Machado (absurdo!!!). Chama-se Edifício Flamboyant (pronto, morri!). OK, cara leitora, você pode me questionar: "Mas se ela se sentiu tão ofendida com a demolição, por quê indicou o local?" Porque a atmosfera da rua é incrível. Porque fica no pé do Corcovado. Porque é da frente desse prédio medonho que sai o bondinho para o Cristo Redentor, que você já iria conhecer de qualquer forma.

Rua do Ouvidor

Rua do Ouvidor, em 1890.
De acordo com o próprio escritor:

"A rua do Ouvidor, a mais passeada e concorrida, e mais leviana, indiscreta, bisbilhoteira, esbanjadora, fútil, noveleira, poliglota e enciclopédica de todas as ruas da cidade do Rio de Janeiro".

Era lá que ficavam as redações dos grandes jornais da época. Machado, que trabalhava nesses jornais, frequentava essa, que era a rua mais movimentada e importante do Rio até a virada do século XX. Em várias obras, Machado fala da Rua do Ouvidor. É nessa rua que Brás Cubas reencontra Virgília depois de algum tempo de saudades. Bentinho, o Casmurro, costuma passear por aqui.

Confeitaria Colombo

Confeitaria Colombo, desde 1894.
A Colombo foi inaugurada em 1894, 12 anos antes da morte de Machado, mas ele costumava frequentar o local. Os donos mantém a arquitetura, a decoração e a receita de algumas guloseimas da confeitaria há 120 anos! Fora isso... Os doces são IM-PRES-SI-O-NAN-TE-MEN-TE DE-LI-CI-O-SOS! Tipo: tem que ir, escolher uma mesa, tentar a proeza de escolher entre as magníficas opções do cardápio e se deleitar.

Temos um artigo sobre a Confeitaria Colombo. Clique aqui e leia

Santa Teresa

Bondinho de Santa Teresa
É lá que mora Luiz Garcia, do romance Iaiá Garcia. O bucólico local é um reduto de boêmios, artistas e pessoas que buscam a vida pacata. Dá pra se chegar lá de bondinho, o que, diga-se de passagem, é um charme!

Academia Brasileira de Letras 

Estátua de Machado de Assis, na estrada da Academia Brasileira de Letras.
Uma grande estátua de bronze representando o Bruxo recebe os visitantes na entrada do casarão localizado na Cinelândia. Machado foi o fundador e o primeiro presidente da ABL. O primeiro dos imortais é o dono da cadeira n° 23 da instituição. O mobiliário é o mesmo da época. Para quem, como eu, faz Letras, é parada obrigatória na Cidade Maravilhosa. É ir ver as Letras de perto e perder as palavras!

Para você que só estudava na véspera da prova....


Joaquim Maria Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu no Morro do Livramento, Rio de Janeiro, em 21 de junho de 1839. Filho de um operário e uma dona de casa, o garoto perdeu a mãe muito jovem. Foi criado e educado pela madrinha, uma mulher de posses. Aos 14 anos, publicou o primeiro soneto "À Ilma. Sra. D.P.J.A.", no Periódico dos Pobres, datado de 3 de outubro de 1854. Foi jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo. O primeiro livro de poesias publicado por Machado de Assis foi Crisálidas, em 1864. Em 12 de novembro de 1869, Machado de Assis se casou com Carolina Augusta Xavier de Novais. Três anos depois, lança o primeiro romance, Ressurreição. Fundou a Academia Brasileira de Letras e foi seu primeiro presidente, assumindo o cargo por mais de dez anos. Em 1881 saiu o livro que daria uma nova direção à carreira literária de Machado de Assis - Memórias póstumas de Brás Cubas. A partir daí, Machado de Assis entrou na grande fase das obras-primas, que fogem a qualquer denominação de escola literária e que o tornaram o escritor maior das letras brasileiras e um dos maiores autores da literatura de língua portuguesa no mundo. Faleceu também no Rio de Janeiro, em 29 de setembro de 1908. Após a sua morte, a casa onde fica a Academia Brasileira de Letras passou a se chamar Casa de Machado de Assis.

Leia também:

Uma parada estratégica chamada São Paulo
Mondial de lá Biére: maior evento cervejeiro do país
Confeitaria Colombo
Passeios a pé pela urca
O que visitar no Rio de Janeiro pós-olímpico

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.

Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso


Nívia Gouveia
é jornalista, travel-writer e professora de língua portuguesa. Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, ela pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

9 comentários:

  1. Nívia, há tempos venho planejando organizar um roteiro de passeio pelos locais em que viveu Machado de Assis e também por onde passaram as suas personagens. Encontrei o seu blog, que já me trouxe um bom início de trabalho para organizar esse roteiro. Outro que espero um dia também poder organizar refere-se a Monteiro Lobato, embora esse seja mais trabalhoso, uma vez que ele viveu em muitos lugares, inclusive fora do Brasil.
    Parabéns pelo seu blog e por sua iniciativa.
    Feliz e abençoado 2014.

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana seu blog!amo a cidade maravilhosa e Machado de Assis...mas a confeitaria Colombo nao fica na Ouvidor..parabens pela iniciativa

    ResponderExcluir
  3. Boa iniciativa. O seu post me deu uma idéia.Vou reler Machado e fazer uma lista das muitas citações de ruas e lugares que os seus personagens freqüentaram no Rio.

    Humberto (DF)

    ResponderExcluir
  4. Humberto (DF), tive essa mesma idéia, mas não estou conseguindo tempo para realizar este trabalho. Se, ao terminar, vc puder partilhar esse trabalho, eu agradeço e muitas pessoas poderão usufruir da sua pesquisa. Se eu conseguir fazer o meu levantamento, partilho tb. Abraços
    Nelson - Nova Iguaçu - RJ

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Muito legal o post Nivia. Eu que moro no Rio de Janeiro conheço todos esses lugares, mas nunca parei para pensar que são os "caminhos de Machado" hahahaha. Quanto ao bondinho, já estamos no final de 2014 e nada ainda... :(
    Abs
    Gaby

    ResponderExcluir
  7. Dicas interessantes. Obrigada por compartilhá-las.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Fantástica a sua postagem! Gostei demais, parabéns. Gosto muito de Machado de Assis. Sou fascinado pelo seu estilo e por suas bruxarias literárias.
    Eu humildemente escrevo, na esperança de um dia quem sabe, ser um centésimo do que ele foi.
    Forte abraço!
    versoemcontexto.blogspot.com

    ResponderExcluir


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo
design + código gbml