terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Como chegar e aproveitar o melhor de Jericoacoara

Praia cearense está entre as melhores do Brasil e deve ganhar voo direto do Recife em 2017. O Juntando Mochilas te mostra como curtir a noite mais incrível de todas sem gastar todo o seu dinheiro. porque Jeri é possível.
A Azul Linhas Aéreas acaba de anunciar que deverá operar 4 voos diretos semanais do Recife para a praia de Jericoacoara, no Ceará, a partir de abril de 2017. Famosa mundialmente, Jeri (para os íntimos) é um parque nacional localizado cerca de 400Km a oeste de Fortaleza. O voo será uma importante ligação da região com o resto do Brasil e com o mundo, pois, até hoje, para chegar ao balneário, é necessária uma verdadeira peregrinação.
Atualmente, há três formas para ir a Jeri: fechando um passeio de um dia com empresas de turismo, alugando um carro ou pegando um ônibus de linha. Cada uma das opções tem vantagens e desvantagens e a gente vai falar de cada uma delas.
As empresas turísticas costumam oferecer em bares e hotéis de Fortaleza um passeio bate e volta de um dia. O passeio custa cerca de R$200 e promete te mostrar Jeri inteira. Fiquei me perguntando se seria uma boa opção, pois é muita coisa para ver num dia só. As vans vão buscar os viajantes nos hotéis da orla de Fortaleza às 04h da manhã e seguem rumo ao litoral oeste. São quase 5h de viagem até Jijoca de Jericoacoara, cidade onde fica o parque nacional, e pegar um “pau de arara” para a vila. Pau de arara nada mais é do que um caminhão com a carroceria coberta e bancos para acomodar passageiros. Bem interessante!
Pau de arara que leva os turistas de Jijoca até Jericoacoara. Conforto não tem, mas é muito divertido!
A chegada em Jeri acontece perto das 10h da manhã. Uma parada rápida na pracinha principal “só pra tirar umas fotos na beira-mar” e o grupo segue para a trilha da Pedra Furada. Como a área é protegida pelo ICMBIO, o carro não chega até a Pedra. É preciso caminhar cerca de 40min até a atração, pela areia grossa e fofa. Não é recomendável o banho de mar no local, devido à incidência de pedras e à força das ondas. É tirar foto e caminhar de volta mais 40Km.
Os vendedores de água de coco se oferecem pra tirar fotos dos turistas numa pedra menor na frente da Pedra Furada e fazem esse efeito maravilhoso. Parece que a gente é gigante!
O carro espera o grupo para ir até a Árvore da Preguiça, que é uma árvore deitada pela força dos ventos. O Ceará é conhecido pelo seu poder eólico. A turma do kitesurf e do windsurf faz a festa! Cinco minutinhos na árvore e o grupo segue para a Lagoa Azul, onde almoça em um bom (e caro) restaurante, e volta para Fortaleza por volta das 15h, ou seja, tendo permanecido apenas 5h no destino, das quais, 1h30min foram gastas caminhando na areia fofa. Às 20h, os turistas são deixados nos hotéis da capital com aquela sensação de terem pago R$200 para NÃO conhecer Jeri.
Árvore da Preguiça deixa todo mundo boquiaberto com a força dos ventos e com o poder da natureza de se reinventar e resistir às adversidades.
Que futebol, que nada! O esporte mais praticado em Jericoacoara é o windsurf!
Quem quer fazer por conta própria pode alugar um carro em Fortaleza, com flexibilidade de horários para sair e voltar, porém os veículos comuns não chegam a Jericoacoara. É preciso deixar o carro em Jijoca e pegar aquele velho pau de arara. Dependendo do tempo que você for permanecer por lá, vai acabar pagando diárias perdidas do carro, que fica estacionado na cidade, além do inevitável custo com o combustível e com a quilometragem. Lembre-se que são 800Km pra ir e voltar!
De ônibus, a empresa Fretcar faz a ligação entre Jeri e Fortaleza, com vários horários por dia. Das opções que existem, enquanto não vem o voo da Azul, é a melhor. Você faz o seu horário, não precisa se preocupar com a estrada e nem com os custos extras, sem contar que sai bem mais barato que as vans de turismo (cerca de R$120 pra ir e voltar). Mas a melhor vantagem em ir de busão é poder aproveitar a melhor parte de Jericoacoara: a noite!
O Sol vai se pondo em Jericoacoara.
Pois é. Por mais exuberante que seja a natureza do local, Jeri não é tão mais bonita que várias outras praias nordestinas, como Pipa, Porto de Galinhas, Sancho, Mangue Seco ou Maragogi, que valha um deslocamento tão longo para apenas umas horinhas de passeio. Arrisco-me a dizer, sem medo, que como praia Jeri é bem ‘normal’. Uma praia média. Mar raso, ondas fortes, prática de windsurfe, sol escaldante. Bem ‘ok’. Mas às 16h30 algo mágico acontece...
Viajantes e locais caminham até a Duna do Por do Sol.

Depois que as vans vão embora com os turistas, centenas de pessoas se dirigem à duna que fica à esquerda da praia e sobem para contemplar um dos mais espetaculares pores de Sol que eu já vi na vida. De cima da duna, naquele ventinho delícia, ver o Sol descer e ‘morrer’ no mar é catártico. Muita gente aplaude e até chora, e é aí que Jeri passa a ser JERI. Quando você desce da duna já percebe uma movimentação diferente. As ruas são tomadas por gente bonita, barracas de caipirinha e artistas de rua. Os restaurantes põem as mesas nas calçadas, tudo à luz de velas e da lua. Jericoacoara não tem postes de iluminação.
A caminhada é recompensada com o mais estonteante por de Sol do Brasil. No mar, sob aplausos, o Sol vai dormir e a praia de Jericoacoara vira JERI.
Pessoas de todas as idades saem para curtir a noite mais incrível de todas. Sempre tem festa em Jeri, e para todos os gostos e estilos. Dá pra começar comendo em alguma cantina ao som de reggae, tomar umas 'caipis', dançar um forró pé de serra na Dona Amélia até as 02h da manhã, beber uma ‘lapadinha de cana’, seguir para a baladinha eletrônica, tomar mais caipis, ver a roda de capoeira, tomar uma cerveja pra lavar, assistir ao nascer do Sol e, aí sim, ir dormir, pois o encanto acabou e Jeri volta a ser só uma bela praia do Nordeste.
À luz de velas, todas as cores da noite de Jeri.


Anote a programação pra não se perder!
Comparando a mesma esquina de Jeri, às 09h da manhã e às 09h da noite... Meio diferente, né?

Para aproveitar de toda essa magia, recomendo passar, pelo menos, duas noites na vila. Existem hospedagens para todos os gostos e bolsos por lá, mas eu recomendo fortemente o Vida Hostel & Backpackers. O albergue da juventude fica quase de frente para o Forró de Dona Amélia, ou seja, na cara do gol. Todos os quartos têm ar condicionado, banheiro privativo e as camas são protegidas com uma cortininha que faz toda a diferença numa terra onde dormir é artigo de luxo.
O esquenta da noite é regado a caipirinhas e uma partida de sinuca, ainda no hostel!
O café da manhã é gostoso, bem regional. Os funcionários são supercordiais e atenciosos. Dão as melhores dicas. Vai por mim! Agora a melhor parte: o Vida Hostel também oferece um drink de boas vindas para todos os hóspedes e vende uma caipirinha de MEIO LITRO por apenas OITO REAIS. Diga aí se não é um sonho!!!
Simples, mas gostoso e bem regional, o café da manhã do hostel tem cuscuz, tapioca, queijo coalho, ovos, frutas da estação, sucos, café, leite, bolos e uma musiquinha ambiente que faz toda a diferença!
Já hospedado em Jeri, você pode contratar um buggy e conhecer todos os pontos turísticos no seu tempo. É só chegar na pracinha principal e você vai ver vários quiosques vendendo os passeios. Se quer a minha indicação, eu indico a Lulu Passeios. Você pode fazer o passeio oeste num dia e o leste no outro. O oeste te leva para ver cavalos marinhos, fazer trilha, andar de quadriciclo e conhecer a lagoa de Tabatinga. O do leste é o da Pedra Furada, Árvore da Preguiça e a Lagoa Azul, com suas redes dentro da água. Só não esqueça de passar bastante protetor solar. O Sol castiga os desavisados.
Teve até passeio de buggy!
No mais, é bom lembrar de dar aquele cochilinho assim que voltar dos passeios, às 15h, para aguentar a noite toda. Uma vez em Jeri, não se preocupe com mais nada. É só botar a cara na rua e você já estará no meio da festa!

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.

Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso.



Nívia Gouveia
é jornalista, travel-writer e professora de língua portuguesa. Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, ela pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo