segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Um bate e volta a Toledo

Praça em frente a Catedral de Toledo

Tem muitas cidades que estão fadadas a ser um bate e volta de outra. Isso pode ser bom se pensarmos que ela não teria tantas visitas se fosse mais distante de um grande centro, ou ruim se pensamos que a maioria de seus visitantes não conhecerão profundamente sua história, recantos e a alma do lugar. Das cidades que se enquadram nesse aspecto, certamente Toledo na Espanha é um bom exemplo.


Como chegar

Distante 70km de Madrid, Toledo é facilmente acessível via trem (Empresa RENFE, 30min de viagem e recomendamos comprar com antecedência), ônibus (Empresa Alsa, 1h30m) ou mesmo de carro. Diversas empresas de turismo fazem excursões de um dia partindo da capital espanhola e não será difícil pegar o contato delas nos hotéis e até mesmo em albergues.

Sobre a cidade

Prédios da cidade

Aquele velho clichê de dizer que Toledo é uma viagem no tempo é inevitável. Seu título de patrimônio mundial cedido pela UNESCO não é em vão e, além de sua arquitetura medieval bem preservada, Toledo guarda traços judeus, mulçumanos e católicos em seus prédios. 

Detalhes arquitetônicos da cidade

O artesanato em aço, bastante famoso na cidade, se mostra presenta nas diversas armaduras, elmos, escudos e espadas expostos nas lojas. Também será bem fácil encontrar diversos Dom Quixotes pelas ruas. Afinal de contas, a cidade está na comunidade autónoma de Castilla-La Mancha.

Quase um Game of Thrones

Dom Quixote e Sancho Pança

Se perder pelo Casco Antiguo e seu labirinto de ruas é uma ótima forma de conhecer a cidade de forma descompromissada. Há coisas que descobrimos assim. Portanto, apesar de um dia ser suficiente para conhecer a cidade, cogite passar uma noite nela e partir no dia seguinte. Mas se sua viagem não dispor de tanto tempo, já pegue um mapa da cidade no Escritório de Turismo, localizado no centro, e direcione seu roteiro.

Quiosque do escritório de turismo da cidade

Igrejas

São muitas mas, infelizmente, fomos a poucas. Uma indispensável, mas que não entramos por estar fechada, é a Catedral de Toledo. Ficamos horas na parte de fora observando sua fachada monumental.
Detalhes da Catedral de Toledo

Vista da Catedral de Toledo

Uma que passa despercebida é a Igreja de São Tomé, onde está a obra prima de El Grego: O enterro do Conde de Orgaz.

Ainda tivemos uma surpresa em nossa caminhada descompromissada. Há um convento na Rua de Santa Úrsula, N.° 3, das Freiras Augustinas de Santa Úrsula. Elas vivem enclausuradas e vendem quitutes como Mazipan e Pan de Ángel (este último feito basicamente de sobras de hóstia). Como as mesmas não podem sair do convento, toda transação é feita a partir de uma antiga Roda dos Excluídos (item que existia nas igrejas para deixar crianças recém-nascidas para adoção das freiras). Uma experiência que vale muito a pena.

Entrada do convento

Placas na entrada do convento




José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo