terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Cão na mochila: Como viajar com pets, e como deixá-los se não os puder levar

A praia sempre é um bom lugar para levar um cachorro
Se limitações como dinheiro e tempo já são clássicas para dificultar ou até impedir suas viagens, ter cachorro também torna seu sonho mochileiro mais complicadoDiferentemente dos bens materiais, o seu amigão de quatro patas não pode ser simplesmente deixado de lado quando você cair na estrada. Mas isso é algo contornávelCom carinho e cuidado, seu fiel amigo pode vir a se tornar seu companheiro de estrada. Por que não?

Quando não é possível viajar com o cão

O jeito é ficar em casa

Pela dinâmica da viagem em si ou por motivos de doença do cachorro, você pode não conseguir leva-lo. Um canil pode ser a solução nesse casoPesquise bastante antes de escolher um lugar. O canil ideal precisa ter uma área suficiente para o animal caminhar. Deixe a ração que seu cachorro está acostumado, bem como sua cama e brinquedos, para diminuir o stress na mudança de ambiente. Se a viagem for longa, peça para alguém próximo fazer visitas semanais e verificar se está tudo bem.
Uma opção mais barata é deixá-lo na residência de algum conhecido. Dê preferência para quem já tenha intimidade com ele, que já tenha cachorro e que more em uma casa, se possível com um grande quintal. Achando essa pessoa, faça visitas com o seu cão para à casa escolhida nos finais de semana que antecedem a viagem, para integrá-lo ao ambiente. Aproveite essas visitas para acertar detalhes sobre alimentação, passeios e medicações. Tente prever quaisquer problemas.
Dependendo do nível de apego do animal com você, vale deixar um objeto que tenha seu cheiro: tênis velho, camisa usadalençol, qualquer coisa que o faça lembrar de você nos momentos em que ele sinta mais a sua falta. E para ambos os casos, deixe o contato de um veterinário de sua confiança para emergências.


Quando viajar com o cão é inevitável


Mudança? Vamos nessa!

Se a situação for uma mudança, toda família tem de ir junta. É óbvio. Nesse caso, seus filhos peludos merecem alguns cuidados diferenciados, principalmente se o deslocamento for de avião. Nesse caso, é necessária uma pesquisa junto à companhia aérea em relação à reserva, ao tamanho da gaiola etc.
Se o animal for de pequeno porte, ele pode viajar junto com o dono. Os de grande porte viajam no porão. Se seu cachorro for muito agitado, veja a possibilidade de usar um calmante natural, que pode ajudar seu bichano a manter o controle.
Com relação às autoridades sanitárias, você precisará de atestado de saúde fornecido por um veterinário (no máximo 3 dias antes da viagem) e certificação de vacinação antirrábica, aplicada 30 dias ou mais antes do embarque.
Em viagens ao exterior, essa documentação deverá ser apresentada ao ministério da agricultura para o fornecimento de um certificado Zoo Sanitário Ambiental. Vale também consultar o consulado do país de destinopois as exigências podem ir além das aqui citadas, podendo ser solicitado, inclusive, que o animal fique de quarentena.

E quando viajar com o cão é a sua vontade


Agora é só diversão

Antes de pegar a estrada, certifique-se de que o lugar onde vocês irão se hospedar (casa de amigo, couchsurfing ou hotel) aceita receber seu cachorro. Alguns hotéis são pet-friendly. Na busca pela internet, filtre esse item ou pergunte via e-mail. E atente para o porte canino aceito pelo hotel, pra não correr o risco de levar seu Dogue Alemão e descobrir que o local só recebe cães de pequeno porte.
Se vai de carro, observe as leis de trânsito: cachorro no banco de trás, sempre com guia presa ao cinto (petshops vendem cinto de segurança para cães) e cabeça pra dentro do carro. Como dica extra, vale forrar o banco com uma colcha antiga caso seu cachorro babe muito e/ou solte pelos. Não o alimente imediatamente antes da viagem, para evitar vômitos, e faça paradas estratégicas para beber água e fazer xixi.
Chegando ao destino, leve seu totó para um passeio de reconhecimento. Depois, instale suas tigelas de ração e água no cômodo, para que ele entenda que ali será sua casa nos próximos dias. Sempre que possível, deixe o animal solto, cuidando para que ele não incomode outros hospedes. E esteja preparado para acompanhá-lo nas idas noturnas ao ‘banheiro’, para que o animal não venha a se perder nesse novo ambiente.
No mais, aproveite a viagem para passear e brincar bastante com o seu amigão.

Viajando com cachorros, até cavar buracos fica divertido
"Lá fora há muito o que se ver! Vamos nessa!!"

As fotos da viagem foram na Pousada Chez Roni, que fica na Paraíba, 80km ao norte da capital João Pessoa. É uma das poucas Pet-Friendly que encontramos em nossas pesquisas, num raio de 300km partindo de Recife.

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.


Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso.


José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo