segunda-feira, 29 de julho de 2013

Guia prático da mochila 01: Tudo o que você precisa levar

Nenhuma viagem é solitária quando se tem uma boa mochila como companheira

Primeira mochilada e você está inseguro quanto a que tipo de mochila, ao que levar, ao que deixar... Fique tranquilo! Essa insegurança bate até nos mochileiros mais experientes. Arrumar uma mochila pode ser um terror, mas com algumas dicas práticas, fica bem simples!
Existem vários tipos e marcas de mochilas no mercado e você deve escolher a que melhor se adapta ao seu corpo. Uma boa mochila não prejudica a sua coluna. Por favor, não tente economizar nesse item. Nem pense na diferença de preços! Os R$ 200 a mais que você vai pagar, divididos em 6 vezes, não significam NADA perto de uma dor de coluna inutilizante, que te deixa de cama na cidade mais linda da viagem. Sem contar que você compra uma mochila de R$ 200 reais que dura 2 anos, podendo comprar uma de R$ 400 que te acompanhará por 10 anos. Faça as contas. Algumas economias, definitivamente, não valem a pena.
Nós, particularmente, indicamos as mochilas da Deuter, como a que Nívia usa. São duráveis, confortáveis, leves, práticas. Outra opção é mandar fazer sua mochila sob medida. Também não sai barato, mas é confeccionada exatamente do jeito que você precisa, bom base nas medidas de seu corpo. A mochila de Jayme foi feita por um carinha que faz equipamentos para o exército. No rojão desde 2007, nunca demonstrou sinais de cansaço.
Se você já tem, ou já arranjou emprestada, uma mochila, uns 40 dias antes de viajar, cheque-a para ver se precisa de conserto. Se precisar, leve para uma oficina de confiança. Quando estiver pronta, limpe-a e seque-a bem, conforme as instruções do fabricante.
Escolhida a mochila, vamos descobrir o que levar. A primeira coisa a se pensar é no clima da cidade para onde você está indo. É inverno? Verão? Como são as temperaturas do local nessa época? Essas informações são fáceis de conseguir nos sites Climatempo e Tempoagora, ou até mesmo na Wikipedia. Se as temperaturas mínima média e máxima média são de 10ºC de 27ºC, respectivamente, pense bem antes de encher a mala de camisetas do tipo regata. E já comece a colocar dentro da mochila os itens de que você não vai precisar no período de 30 dias anterior à viagem. Por exemplo, se você mora em Santa Catarina vai para a Alemanha em julho, dificilmente usará uma sunga ou biquíni antes de embarcar. Vai pra mochila.
Outra coisa a se pensar é a quantidade de dias de viagem. Só porque você vai passar 21 dias, você não precisa levar 21 mudas de roupa! Programe-se para lavar roupa nos lugares por onde passar. Leve roupa para 7 dias e vá lavando no caminho. Para isso, você pode levar um potinho com sabão líquido concentrado e lavar nos albergues. Dependendo do lugar, não é caro lavar em lavanderias. Em Madrid, gastamos 7 Euros para lavar e secar roupas para 10 dias, de 2 pessoas. Em Roma, o mesmo serviço custou 5,5 Euros.


Escolha roupas fáceis de combinar, cores neutras e que não precisem ser passadas a ferro. Evite estampas muito marcantes, para não parecer repetido e datado no álbum de fotografias. Uma coisa é você mostrar aos seus amigos, daqui a 10 anos, uma foto sua de short jeans, tênis e camiseta branca na frente do Coliseu. Outra coisa totalmente diferente é você no mesmo local com uma calça saruel amarelo limão com flores pink e pretas, calçando Crocs e usando uma camiseta onde se lê Abercrombie bem grande no peito. Nem sei se é assim que se escreve, mas lembro bem de Fido Dido... Quem viver, verá!
Roupa para 7 dias é muito pouco pra você? Lembre-se que o limite de peso de uma mochila, recomendado pelos ortopedistas, é de 10% do seu peso corporal, mas não caia na besteira de já sair de casa com esse peso nas costas! Você vai querer comprar coisas pelo caminho. E aí? Vai fazer o quê com as compras? Deixar no albergue? Não, né? Tem que ter espaço sobrando na sua mochila. Sendo bem realista: leve 7% do seu peso e volte com 15%. Se achar que é repetir roupa demais, bote uma coisa na cabeça: Aquele povo nunca te viu na vida e, provavelmente, nunca te verá de novo...
Se você pensa em fazer muitas compras no seu destino, considere a possibilidade de levar ou comprar na viagem uma mala de rodinhas para trazer as compras. Prefira as de fibra se for trazer vinhos, elas protegem melhor contra impactos.
Outra coisa, leve algumas roupas que você não tenha pena de se desfazer pelo caminho. Num dos nossos primeiros mochilões juntos, era inverno. Inexperientes, já saímos de casa com a mochila pesada. Compramos coisas no caminho e, pelo excesso de peso, Jayme torceu o pé. Abrimos a mochila, fizemos uma sacola com roupas que não nos fariam falta e deixamos para trás. Mesmo assim, Jayme ainda teve que ser atendido por um médico, quando chegamos ao aeroporto, com problemas nas articulações.
Importante: Prove e cheque todas as roupas antes de colocar na mala. Parece bobagem, mas sempre tem uma peça ou outra que precisa de um ajuste, um botão, uma bainha. Se você fizer isso com antecedência, terá tempo hábil de levar para uma costureira antes de embarcar. Certifique-se de que todas as roupas abotoáveis tenham um botão extra costurado do lado de dentro e, para as emergências, leve um kit costura com umas 5 cores de linhas, 2 agulhas e 2 broches. Se você não tiver noção de como fazer isso, há vídeos tutoriais sobre como pregar botões no Youtube.


Dica especial para as meninas - Deixe as futilidades em casa! No lugar de levar secador de cabelo, use solto ou com faixinhas e lenços comprados na viagem. Ou aproveite o destino exótico pra fazer trancinhas no cabelo. Secador é peso extra. Salto alto é outro item que as mulheres nem cogitam em deixar em casa. Repense. Enquanto estiver com a mochila nas costas, você não vai conseguir usá-los. Pra andar quilômetros durante o dia e conseguir sair à noite, você vai preferir estar de tênis. A não ser que você tenha algum ingresso de ópera já comprado, ou algum programa que exija traje formal, nem leve seus saltos.
Vá de tênis e leve um par de Havaianas na mochila. É mais do que suficiente! Os gringos adoram Havaianas. Pagam caríssimo por elas. Usam pra ir pra balada! E, se você der bobeira, eles podem até roubá-las (acredite, já aconteceu conosco). Além do mais, sinto muito em te dizer, mas aquela sua meia-pata lindíssima da Arezzo, que custou R$ 250, é lixo para quem é vizinho do Christian Louboutin...


Higiene pessoal - Quanto a produtos de higiene pessoal, leve o mínimo. Os produtos de supermercado comprados na gringa são infinitamente melhores dos que os nossos e tão baratos quanto. Creia! Você vai se arrepender se levar um tubão de 400ml xampu Seda brasileiro e descobrir que, fora, eles são melhores e custam o mesmo. Leve só um pouquinho, em embalagens pequenas, para comprar no primeiro supermercado que você passar por lá. Se não encontrar xampu já em embalagem pequena aqui, compre embalagens de 100ml naquelas lojas de essência e coloque o produto. Isso serve para todos os outros itens de perfumaria. Leve o desodorante que você já conhece e confia daqui. É mais seguro. E, por último, uma informação de ordem prática: Um sabonete de 90g rende cerca de 25 banhos.
Primeiros Socorros – Não esqueça, de maneira nenhuma, de levar alguns itens de farmácia que podem ser difíceis de encontrar, precisar de receita ou ter embalagens completamente ininteligíveis lá fora, como: curativos do tipo band-aid; remédios para dor e febre (nós usamos paracetamol); um antialérgico que você já tome, caso seja alérgico; anticoncepcional e absorventes (nunca se sabe), para as meninas; camisinha, Engov e aqueles flaconetes amarelinhos para o fígado; remedinhos para prender e para soltar o intestino, para garantir o sucesso nas suas experiências culinárias. Também leve papel higiênico de fácil acesso na mochila. A culinária de viagem pode trazer surpresas em horários pouco práticos.


Indispensável - Coisas indispensáveis em uma mochila são sacos de 100 litros, daqueles de lixo, para colocar roupa à medida em que vai ficando suja; uns 2 cabides, para secar uma roupinha melhor e ela parecer passada; um reloginho despertador (não se confie no do celular! Se a bateria descarregar durante a noite, você pode até perder um voo); lanterninha de led são baratinhas, superpráticas e uma mão na roda quando seu MemoryCard escorrega pra debaixo da cama, de madrugada e você precisa pegar sem acordar todos os outros hóspedes.





No próximo post, você aprende COMO ARRUMAR A MOCHILA!


Leia também:
Guia prático da mochila 02: Como arrumar
Como legar garrafa de vidro na mochila


E não esqueça de fazer uma cotação de Seguro Viagens com nosso parceiro Real Seguros e nos pedir o código promocional do mês. É bem mais barato do que você imagina e ainda ajuda nosso blog a se manter vivo. Clique aqui e saiba mais

Se buscar por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, paga uma comissão por hospedagens fechadas que são pesquisadas nos buscadores dos blogs parceiros, ou seja, mais uma ajudinha que vocês nos dão para continuar com o blog vivo e ativo


Nívia Gouveia
é jornalista, travel-writer e professora de língua portuguesa. Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, ela pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

3 comentários:

  1. Casal, boa noite,
    Depois deste post, começo a achar que até euzinha dou conta de dar umas "mochiladas" por aí, dando um descansinho para a mala.
    Um abraço prá vocês!
    Lena Reis

    ResponderExcluir


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo