quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Os melhores bares de praia de Maceió


Todo prazer de um bom drink na praia.
No feriado da Proclamação da República de 2013 estivemos em Maceió, onde mora Victor, o irmão caçula de Nívia. Assim que chegamos, antes de perguntar se fizemos boa viagem, a primeira questão de Victor foi sobre o que queríamos conhecer na cidade. Nós nem sabíamos exatamente. Queríamos ir à praia, o que é um evento para recifenses habituados ao banho de mar proibido, por causa dos tubarões. Também pensamos em conhecer os bons bares pra escrever aqui para o blog.Leia também: Recife e seus encantos mil

Durante as pouco mais de três horas de viagem de carro do Recife para Maceió, tínhamos pesquisado no aplicativo ‘101 bares para beber antes de morrer no Brasil’, do Guia 4Rodas. Concordamos em ir ao Palácio do Chopp, bar aberto em 1917 que seria reduto da boemia e o lugar preferido do escritor Graciliano Ramos na capital alagoana. Já tínhamos um alvo. Qualquer coisa além disso seria lucro. Para nossa tristeza, o aplicativo estava esatualizado e o bar, fechado há alguns anos. Virou loja de móveis. Imagina...

Victor veio ao nosso auxílio e disse que Maceió, ao contrário do Recife, tem muitos bares de praia. Foi só aí que lembramos de consultar Veja Maceió (Dá zero pra gente!). Testamos os quatro mais estrelados e avaliamos para vocês:

Barricas

Frequentado por famílias com filhos, que curtem tomar banho de mar, mas preferem comer e beber na sombra. Ambiente bem agradável, com um portãozinho virado para a praia da Ponta Verde. Caipirosca de vodca nacional por R$ 6,90 e a de Absolut por incríveis R$ 9,90! Porção enorme de batata frita por R$ 7, e um filé com fritas bem servido a R$ 25,90. Boa acessibilidade para quem tem dificuldade de locomoção. A música, na maior parte do tempo em que estivemos lá, era tranquila: nova MPB em volume adequado. No fim da tarde tem samba de raiz ao vivo. Os garçons são bastante simpáticos. A única ressalva de Jayme para o Barricas é choro das crianças. E lá tem muitas.
Fachada do Barricas. Foto: Divulgação
Ambiente família do Barricas.

Serviço do Barricas.


A distância entre o Barricas e a areia da praia é essa cerquinha.
Victor, que nos indicou o Barricas.

Milk Beach Pub

Na quase deserta praia da Garça Torta, 11km ao norte de Maceió. O mar em frente ao pub não é bom para o banho, pois os corais vêm até a beirinha. Difícil de achar, o local tem um ambiente lindo, perfeito para jovens, que preferem beber, conversar e deixar o bronzeado em dia. Decepção, só quando o garçon perguntou “Açúcar ou adoçante?”. Ao contrário do que diz Veja Maceió, os drinks não são ‘preparados pessoalmente pela dona do bar (que fez curso de coquetelaria na Inglaterra), com base caramelada, feita no dia anterior’. Um barman fez com açúcar uma caipifruta de maracujá (R$ 8,90) para Nívia. Da cozinha também saiu um camarão empanado na cerveja maravilhoso (R$ 20, com 10 camarões).

Entrada do Milk Beach Pub. Foto: Divulgação.

Tá ruim aí, Jayme?

Bar do Milk Beach Pub.

Lopana

Famoso, o bar guarda a glória de ser considerado o melhor bar de praia da capital alagoana, mas, na prática, não é bem assim. É o reduto dos saradões de academia e da alta sociedade maceioense que estão ali para mostrar os músculos enquanto bebem espumante em taças de plástico colorido. Pedimos uma porção de pasteizinhos de queijo e carne (R$ 14,90 com 10 minipastéis), mas os de carne eram com soja... A caipirosca de vodca nacional custa R$ 9,90. Os garçons demoram a passar. A música excessivamente alta dificulta a conversa. O DJ toca dentro do bar, faz remix dos hits atuais e tocou até Sunday bloody Sunday do U2, na versão de Sambô (Tire suas próprias conclusões). Pra completar, um esgoto desemboca ao lado do bar, o que faz com que o banho de mar seja inapropriado. Mesmo assim, Jayme se arriscou a dar uns mergulhos.
DJ Felipe Vieira comandando as pick-ups do Lopana.
Detalhe da fachada do Lopana.

Lopânico, feito com Malibu, Curaçau Blue, soda e suco de abacaxi.


Parede do Lopana exibe os prêmios da casa.

Entardecer no Lopana.

Kanoa

Na nossa opinião, ESTE SIM é o melhor bar de praia de Maceió. Pra se ter uma ideia, é a coisa mais parecida com Ibiza que já vimos aqui no Brasil. Segue a mesma proposta do Lopana, mas funciona melhor. O DJ toca, na areia, músicas eletrônicas conhecidas. O volume do som é adequado à conversa. Os frequentadores são bonitos e descolados, e o clima geral é de paquera. A comida é deliciosa, em porções honestas e com um preço bem convidativo. Provamos a porção de bolinho de charque, macaxeira e queijo (R$ 12,90 com 12 bolinhos) e a Carne de sol de coalho no pão italiano (R$ 26,90, para 2 pessoas monstrinhas). Perfeitos! Caipirinha por R$ 6,90 e Skol long neck por R$ 4,90. Os garçons são pura simpatia. Ficamos com muita vontade de voltar!
Frente do Kanoa.
DJ do Kanoa agitando a galera.

Carne de sol de coalho no pão italiano do Kanoa. Muito bom!
Bolinhos de charque, macaxeira e queijo coalho do Kanoa.
Público do Kanoa.
Tendo em vista que moramos no Recife, e que o custo de vida em nossa cidade é mais alto que o de Maceió, achamos os preços baratos em relação à nossa cidade, em bares do mesmo nível. Uma caipirosca de vodca nacional, em um bar arrumado na Avenida Boa Viagem, no Recife, custa em média 15 reais. Em Maceió também não fomos a nenhuma boate. Precisamos ir lá de novo e conhecer melhor a noite alagoana. Tomara que não demore!

O espetacular crepúsculo em Maceió. Foto: José Jayme

Leia também:



E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.

Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso


Nívia Gouveia
é jornalista, travel-writer e professora de língua portuguesa. Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, ela pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

2 comentários:


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo
design + código gbml