segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Valencia: uma cidade para se viver


Cidade das Artes e das Ciências
Tivemos a oportunidade de conhecer Valência em nosso giro pela Espanha. Graças à nossa falta de pesquisa prévia, a cidade havia entrado no roteiro apenas por uma questão de logística: tinhamos tempo no cronograma e era central para algumas outras paradas que faríamos. Ainda bem que falhamos nas pesquisas, porque achamos a cidade uma delícia! Apesar de ser bastante parecida com outras grandes metrópoles espanholas, Valência é mais barata que suas irmãs, e isso não implica um prejuízo na qualidade de suas atrações.

Conhecendo a cidade

Amigos que fizemos pelos bares da Ciutat Vella. Apelidamos o cara da direita de Javier Barden.
Valência tem um pouco da agitação diurna de Madrid e Barcelona, com a vantagem de ter os voos mais baratos para Ibiza e Maiorca, nas Ilhas Baleares. Possui a noite semelhante a ambas as cidades, com os Pub Crawl (passeios noturnos de bar em bar) e belíssimas praias. A culinária segue a dieta do mediterrâneo onde se destacam os pratos com arroz. Recomendamos experimentar uma Paella Valenciana.

Leia também: Ibiza é possível

Paella Valenciana. Não saia de Valência sem comer uma!
Se estiver com calor, tome uma orchata, bebida refrescante a base de chufas (da família dos amendoins) que você encontra em barraquinhas nas ruas. É uma bebida de gosto estranho para muitos de nós, mas refrescante e é algo que você dificilmente encontrará em outro lugar. Para quem conhece ou é da região amazônica, Nívia comparou a bebida ao suco da bacaba.

Você pode até não gostar da Orchata, mas dificilmente vai encontrá-la em outro lugar.
Nossa prova da Orchata gravada em vídeo
Recomendamos que você fique hospedado nas proximidades da Ciutat Vella, pois fica próximo de quase todas as atrações históricas e culturais da cidade como as Torres de Quart e Torres de Serranos, a Catedral de Valência e o Mercado Central. Também nas proximidades fica a Estacio dell Nord, um dos principais pontos de chegada e saída da cidade e para o aeroporto. Se ainda não se convenceu de ficar no entorno da Ciutat Vella, é lá também onde se encontra o ponto de boemia da cidade e muitos bares que ficam abertos até altas horas.

Estacio dell Nord


Ciutat Vella
Separe um dia para conhecer o entorno dessa região. Se tiver pouco tempo para visitar a cidade, ou quiser um passeio completo para depois escolher os melhores lugares, recomendamos o Valencia Bus Turistic, um serviço turístico com ônibus aberto e que possui duas linhas – uma histórica e outra marítima – que, a um preço único, você pode andar quantas vezes quiser, descer e subir nas paradas e mesmo trocar de linha durante 24hs. As saídas são da Plaza de la Reina a cada 30 minutos e possuem áudio guia em oito idiomas, incluindo o português (de Portugal, obviamente). Pagamos quinze euros por pessoa em Junho de 2012.

Valencia Bus Turistic
Apesar de constar nos guias, não recomendamos o Mercado Collón por ser demasiadamente moderno e não ter nenhum diferencial além da internet Wi-Fi grátis. E por falar em internet, existe sinal gratuito de boa qualidade no metrô de Valência. Aproveite!

Internet gratuita no metrô
Infelizmente não chegamos a entrar no Mercado Central (um dos maiores da Europa), pois estava em reforma, mas ao redor dele existem bares e restaurantes que servem boas comidas regionais e, o mais importante, sem ser ‘de microondas’- muitos restaurantes em pontos turísticos, principalmente em Barcelona, servem pratos locais, como as paellas, congeladas de supermercado. Tira o encanto de qualquer turista.

Leia também: Porque não gostei de Barcelona

Num desses pequenos restaurantes da área do mercado pagamos oito euros por uma refeição individual com primeiro e segundo prato, refrigerante e um cafezinho, que serviu perfeitamente para duas pessoas. O primeiro prato foi a paella valenciana e o segundo prato, filé de atum grelhado com salada e batatas fritas. Muito bom!

Ciutat Vella

Leve seus filhos

Oceanogràfic
De uma coisa tivemos certeza quando estivemos lá: Valência é uma cidade para a família e talvez esse seja seu grande diferencial. Quem viaja com os pimpolhos vai gostar muito de seus grandes parques, áreas verdes e praias. Segue alguns locais a serem visitados dentro desse contexto:
Cidade das Artes e da Ciência – um imenso complexo com o maior oceanário da Europa, parques de diversão, jardins suspensos, museus e até um cinema I-max, com tela hemisférica que fica dentro de uma estrutura que remete a um olho humano. A vista do local é de tirar o fôlego, dando a impressão de se estar em um mundo futurista, tudo fruto da mente do arquiteto Santiago Calatrava, que não poupou criatividade.

Assim fica fácil encarar a fera...

L'Hemisfèric e sua estrutura em forma de olho humano

Cidade das Artes e das Ciências
Todo o complexo merece um dia de visitação, mas, para as crianças, destacamos as programações do Oceanogràfic e o show dos golfinhos. Quando estivemos lá, o programa era ‘dormir con los tiburones’, em que as crianças eram convidadas a passar a noite no tubo de vidro que há dentro do aquário dos tubarões e, além de dormir, teriam aulas sobre esse gigante do mar. Tudo isso dentro de uma programação de ferias de meio de ano que pode ser aproveitado por turistas que forem passar mais tempo na cidade.

Show dos golfinhos

Show dos golfinhos

Jardín de Turia  – O parque com mais de 6,5km de extensão fica onde era o rio Túria, que teve seu curso desviado para fora da cidade devido às grandes enchentes. No espaço que restou, foram construídos playgrounds, quadras poliesportivas, campos para vários esportes, pistas de cooper e ciclismo, e algumas edificações como o conservatório de música. Um passeio de bicicleta durante a tarde é uma ótima pedida. Os valencianos também usam o parque para piqueniques em família.

Mochileiros caminhando ao lado do antigo leito do Rio Túria, hoje um grande parque

Campo de futebol no Jardín de Túria

Destacamos para as crianças o Gulliver, uma estrutura que mostra um gigante deitado e “amarrado” ao chão. Você pode passear por dentro dele e conhecer os órgãos do corpo humano. Fica próximo a Cidade das Artes e Ciências, que fica no final do Jardín de Turia. Apenas fiquem atentos ao horário, pois o Gulliver fecha às 17h.
Bio Parc – Não tivemos a oportunidade de conhecer o Bio Parc, passamos por ele no passeio do Valencia Bus Turistic pois esse é um ponto de parada. Mas por tudo que vimos, ouvimos e lemos nos guias, é um zoológico que reproduz um safari. Os animais ficam soltos em uma grande área verde e as pessoas fazem visitas acompanhadas. Mesmo sem termos tido a experiência do local, fica aqui como uma dica para quem quiser conhecer. Sem dúvida é uma boa para quem vai com os pequenos.

Vamos nessa?

Vídeos de viagem





Leia também:


E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.

Se buscar por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, paga uma comissão por hospedagens fechadas que são pesquisadas nos buscadores dos blogs parceiros, ou seja, mais uma ajudinha que vocês nos dão para continuar com o blog vivo e ativo


José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo