terça-feira, 27 de junho de 2017

Wombats Hostel de Munique - O melhor albergue que já ficamos

Jardim de inverno com arvore. Sim! no Wombats tem!!

Já visitamos muitos hostels nesses quase 10 anos juntos de muitas viagens, e mais alguns antes mesmo de juntarmos as mochilas (entendeu de onde vem o nome do blog?).
Eu particularmente sou quase um ativista da causa alberguista, e cheguei a convencer Nívia de ficarmos em um hostel durante nossa lua-de-mel. Sim, gosto do clima de um albergue, da coletividade, da disponibilidade das informações e até mesmo da informalidade de alguns. Já fiz um artigo falando respeito desse meu fascínio por esse tipo de hospedagem.


E essa vasta lista de albergues que já conhecemos (alguns dos nossos melhores estão no Brasil) é encabeçada pelo Wombats Hostel de Munique, na Alemanha.
Ele conseguiu ser excelente nos pontos que julgamos primordiais para um bom hostel.
Abaixo, vamos listar o que fez do Wombats Hostel o nosso melhor hostel (pelo menos, até a data que esse artigo foi escrito):

1 – Limpeza

Corredores, quartos e demais áreas sempre limpos

O hostel, mesmo lotado quando estivemos lá, estava sempre impecável! Desde os quartos até a área comum e o bar estava sempre bastante limpos. Não que a gente não perdoasse uma sujeira aqui ou ali, pois de fato tinha muita gente hospedada e seria difícil não vacilar em algum momento, mas nesse quesito eles foram mágicos e não deixaram nenhum papelzinho à vista, mesmo que por alguns minutos.

2 – Segurança

Além da recepção e de uma área de espera, o restante do albergue só é acessível por portas que destrancam com seu cartão de acesso. O mesmo cartão também lhe libera sua entrada no corredor do seu quarto, o acesso ao seu quarto e também ao seu armário. Além do mais, os corredores são bem servidos de câmeras de segurança.


3 – Serviços

Tomada e luz de leitura na cama. Perfeito!

Todos os serviços básicos para um bom alberguista estão presentes no hostel. Lavanderia espaçosa e bem equipada, bem como cozinha igualmente completa e limpa, localizada no bar. Mas as pequenas coisas também fazem a diferença. Além do armário acessível pelo cartão, como já falamos, os quartos possuem tomada e lâmpada de leitura perto do seu travesseiro. E a internet WI-FI? Sem miséria, funciona como uma locomotiva e é totalmente grátis. Você verá de cara muitos hóspedes conectados em seus celulares e computadores como em nenhum outro lugar.

4 – Sociabilização

Jardim de inverno do meu agrado

Pegando um gancho na internet, eles têm uma estratégia muito legal para favorecer o uso da área comum e que até colabora com a questão da segurança do hostel: o WI-FI não funciona nos quartos! Então desça para a área comum e vá ver gente, mesmo que entre uma teclada e outra. Mas se eu fosse você, não perdia tanto tempo com o smarthphone. O hostel possui um bar super badalado onde muita gente chega no final da tarde para contar como foi seu dia. Além disso, também tem um belíssimo jardim de inverno bem aproveitado pela galera do violão e da paquera. Bom, se você quiser um papo à dois mais reservado, ou na companhia de um livro sem toda essa barulheira, muitos quartos possuem varandas com vista... para outras varandas! Mas nada que desagrade a tranquilidade de esticar as pernas e ficar contemplando a área comum do hostel.

Se vacilar, o dia passar e você nem percebe

5 – Localização

Como se não bastasse tudo isso, o hostel fica bem no centro de Munique, ao lado da estação central da cidade. Dá para fazer muita coisa a pé (inclusive visitar a cervejaria Paulaner que fica bem do lado) ou pegar um trem daqui para visitar pontos mais distantes.


Como o Wombats Hostel é uma rede de albergues europeu, imagino que os demais hostels do grupo não devem ficar para trás já que o padrão deve ser o mesmo. Mas ainda não fomos a outros do mesmo grupo. Ahh, e antes que eu esqueça, esse post não é patrocinado pelo hostel, apesar de todo o entusiasmo com a descrição do lugar. Quando algo é bom de verdade, a gente sempre conta aqui.

Para chegar na Alemanha vindo do Brasil, a Condor Linhas Aéreas é uma das melhores opções, com voos semanais partindo do Rio de Janeiro, Fortaleza e Recife direto para Frankfurt, sem escalas. Se quiser fazer uma cotação e já sonhar com mais essa viagem, clique aqui. 

Link para o site do hostel: Wombats Munique

Leia também:

Campo de Concentração de Dachau


José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo