segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Não se preocupe! Deixe a viagem ‘dar errado’.

Alguém já teve que dormir na praça?

Viajar é, antes de tudo, se deixar surpreender. E por mais que a viagem seja extremamente planejada, com todos os pontos, valores, roteiro e metas postas no papel, às vezes nem tudo sai como o planejado. E em nada isso é ruim. Mesmo quando as coisas acontecem de forma desfavorável, ficam o aprendizado e as histórias para contar. Os imprevistos também podem vir de forma positiva, e o que era apenas um passeio descompromissado pode vir a se tornar algo formidável.  
Abaixo, citamos coisas negativas que aconteceramem nossas viagens, e coisas que deram certo além do planejado:

Quando deu errado...

1 – Conhecer pessoalmente o criador do cubo mágicoCubo Mágico, conhecido no mundo inteiro como Rubik´s Cube, foi um brinquedo criado pelo arquiteto húngaro Ernő Rubik. Como o mesmo ainda é vivo, tentamos vários contatos com o seu escritório de arquitetura em Budapeste para conhecê-lo e ter um cubo autografado pelo próprio. Nossas solicitações tiveram resposta, mas, infelizmente, negativa. O ocupado Sr. Rubik recebe centenas de e-mails como o nosso. Se atendesse a todos, não trabalharia nos projetos arquitetônicos. Paciência...

2 – Entrar no museu do Louvre, em ParisTalvez uma frustração capital de nossas viagens foi ter ido a Paris, separado um dia para conhecer o Louvre e não ter conseguido. No dia separado para a visita, a entrada do museu era gratuita e o que faltava de fila tinha umaprevisão de 4 horas de espera. Já era meio-dia, entraríamos às 16h, e o museu fecha às 18h. Desistimos da fila. Fomos para Mont’Martre.
Fica para uma próxima.
3 – Na fronteira da Eslovénia, olhando para o outro ladoFizemos uma viagem muito corrida pelo leste europeu, e em duas oportunidades passamos muito próximos da Eslovênia. Cogitamos acrescentar o país ànossa lista. Tudo contava a favor. Estávamos de carro, nossos amigos toparam ir e bastavam míseros 30quilômetros de estrada para a fronteira. Mas, por incrível que pareça, não houve nenhum grande motivo para não irmos, simplesmente desistimos e fomos beber vinho na beira de um lago.

4 – Coliseu de Tarragona fechado: Já houve vários lugares que queríamos ir e estavam fechados por motivos de reforma, ou que estavam muito lotados ou mesmo atrações que estavam em manutenção como a ovelha Dolly, no museu da Escócia. Mas o Coliseu de Tarragona merece destaque, pois tivemos 3 dias na cidade e deixamos para visitá-lo no último dia. E justamente aquele dia era o único da semana em que o lugar era fechado.
Infelizmente só deu para ver o coliseu a essa distância.
5 – Procurando pelo Café Milena, em PragaEstivemos em Praga e Nívia cismou em conhecer o Café Milena, por dois motivos. O café foi o local onde Franz Kafka se encontrava com seus amigos e onde se inspirava para escrever sua Metamorfose e Millena é o segundo nome de Nívia. Quando o grupo foi à Colina Hradcany para conhecer o Castelo de Praga, Nívia se desgarrou e foi procurar o tal café. Meia-hora de caminhada e ela descobriu que o café havia mudado de nome anos antes para Café Praha e fechado poucos meses depois da mudança. No local havia um restaurante pega-turista muito do sem graça. Nem Castelo, nem Milena, nem nada!

...e quando deu certo

1 – A Espanha vence a EurocopaViajávamos em lua de mel pela Espanha. Estávamos em Valencia e nosso próximo destino seria Madrid. Inicialmente cogitamos ir de ônibus, contudo não haviam mais bilhetes para aquele dia. O trem foi nossa opção de última hora e assim que chegamos à capital espanhola, todos estavam grudados na telinha assistindo à grande final da Eurocopa entre a Espanha e a Itália. Para nossa felicidade a Espanha foi campeã e naquela mesma noite as ruas da cidade se encheram de gente vestida de vermelho e amarelo comemorando o bicampeonato. No dia seguinte ainda tivemos o privilégio de ver o time espanhol desfilar em carro aberto, de posse da taça da vitória. Nem o melhor planejamento do mundo teria dado tão certo.


2 – Festa da Vindimia em MendozaImagina chegar por acaso em Salvador, Recife ou Rio de Janeiro em pleno sábado de carnaval. Aconteceu com Jayme em Mendoza, na Argentina. melhor foi perguntar ao taxista “O que tem de bom para fazer aqui?” e receber como resposta uma cara de espanto que mais tarde foitraduzida como “Você veio à cidade pra quêse não foi para a Vindimia?”. Pois a Vindimia é a celebração da uva e do vinho mendocino, carro chefe da economia local. Durante 3 dias, a cidade se enche de desfiles, feiras, apresentações e, por fim, um grandioso show com várias manifestações culturais e musicais, a escolha da Rainha da Vindimia. Por sorte, Jayme conseguiu ingressos para boa parte deles.
Isso sim é uma festa surpresa.

3 – Entrar de penetra numa festaJayme foi jantar com alguns amigos em Londres. Após o jantar, na caminhada até a estação do metrôviram uma festa animada num apartamento. Entraram no prédio, apontaram algum nome na lista de convidados e em poucos instantes estavam em uma superbalada com bebida à vontade, DJ e muita gente legal.

4 – Ver de perto o arquiduque de Luxemburgo: Se até aqui você está achando que cair de surpresa em festas é nossa especialidade, temos mais uma para contar. Na viagem ao leste europeu, incluímos Luxemburgo, poisJayme tem um primo no ducadoQuando avisamos ao primo a data em que estaríamos na cidade, pasmem, era exatamente a data da maior festa do país, a Luxembourg Fête. Só pra você entender, além de ser a data magna da fundação do país, ainda é o aniversário do Arquiduque. Então imagine uma noite de DJs e bandas estreladas tocando nas ruas, como um Rock in Rio da vida, só que com bebida liberada, uma queima de fogos digna de réveillon de Copacabana e desfile cívico como o de 7 de Setembro em Brasília, com autoridades do mundo todo, tudo isso em um período de 24 horas!

Festa de rua e muita cerveja
5 – Conversar com um astronauta de verdadeVisitar o Museu de Ciências de Londres já seria muita emoção para qualquer nerd old school como Jayme. Mas ele foi além e teve a sorte de conhecer, de quebra, um astronauta. Vestido a caráter (inclusive com o traje do Eugene Cernan - último a pisar na lua), o astronauta apresentava uma réplica de módulo lunar e foi acessível para conversar com todas as crianças (principalmente uma criança brasileira de 34 anos) para contar curiosidades, como a comida dos astronautas, e como eles dormem e fazem suas necessidades fisiológicas no espaço. Era emoção que não cabia numa pessoa só. Tanta que esqueci de perguntar o nome dele heheheheheh.
 
Não é todo dia que se conhece um astronauta de verdade

Fica a lição: planejamento é bom, mas se deixar levar também faz parte da viagem. Se algo que você quer fazer não for possível, não tem problema. Aproveite para aprender a pôr os pés na estrada com menos planejamento em algumas oportunidades, e esperar que a viagem lhe surpreenda. Se você já pratica esse desapego das planilhas e dos mapas certamente sabe do que estou falando.

E por falar em erros, abaixo uma compilação dos erros de gravação de nossos vídeos de viagem. Ria um pouco e aproveite para assinar nosso canal no YouTube!!


Leia também:

E se a viagem der errado, não esqueça de ter um Seguro Viagem a mão para os contratempos. Clique aqui e saiba mais detalhes.
Comentário(s) pelo Facebook:

1 comentários:

  1. Muito bom o post, são esses contratempos que fazem uma viagem ser mais do que um check list de pontos turísticos. Adoro!

    ResponderExcluir


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo