terça-feira, 14 de junho de 2016

Hostel 7: O melhor de Brasília!

Vista interna do Hostel 7, Brasília/DF

Quem viaja a Brasília costuma se queixar da relação entre o preço e a qualidade das hospedagens no Plano Piloto. Os hotéis se concentram nos Setores Hoteleiros Norte e Sul e costumam ser antigos e ter preços bem salgados, se comparados a meios de hospedagem do mesmo porte nas grandes cidades do Brasil. Até uns dez anos atrás, quem queria economizar recorria a pensões baratinhas na avenida W3Sul, uma das mais movimentadas da capital federal.
Em 2007, o Governo do Distrito Federal fechou essas pensões, por entender que elas ficavam em área exclusivamente residencial. De lá para cá, algumas pousadinhas domiciliares e albergues da juventude foram abertos, mesmo sem autorização, e a péssima relação preço x qualidade já conhecida em Brasília foi mantida. Maaaaas...
Eis que cinco amigos perceberam essa realidade e decidiram abrir o próprio albergue, bem no padrão ao qual já estavam acostumados a se hospedar pelo mundo. Foi assim que surgiu o Hostel 7, um hostel conceito charmosíssimo membro da rede HI Hostelling International.
Pertinho de bons bares e restaurantes, o Hostel 7 está a alguns passos de uma universidade. Para quem vai prestar concurso público é filé! Também tem farmácia, supermercado e ponto de ônibus na esquina. De lá, dá para pegar transporte público para quase todas as cidades do DF e para o aeroporto JK. Mão na roda, já que outro problema em Brasília é o sistema público de transporte.
Por fora, o prédio onde fica o Hostel 7 pode até passar despercebido na paisagem austera de BSB, mas é só abrir a porta e “UAU!!!”, uma Kombi azul faz as vezes de balcão de recepção. Do outro lado da sala, uma poltrona em forma de carro e uma decoração bem colorida já mostram a que veio a empresa, que ostenta na parede o primeiro lugar do TripAdvisor na categoria Hotel Especializado.

A recepção foi feita na carcaça de uma kombi

Seguindo em frente e passando da recepção, um terraço se abre na sua frente. É o espaço onde é servido o café da manhã e onde ocorrem as festinhas do hostel. São noites temáticas, ‘esquentas’ pré-balada e até baladinhas intimistas, como luaus. Uma delícia!
Por falar em café da manhã, o Hostel 7 marca um gol de placa, viu? Pães, bolo, frutas, frios, iogurte, leite, café... Bem naquele esquema de hotel. Tudo muito gostoso. Aliás, o café, o suco e as frutas são livres o dia todo! Se bater aquela fominha fora de hora, pode descer que tem comida (Eu e minha alma gorda...). Hahahah!

Cozinha sempre bem servida.

Ainda no terraço, o hostel tem um freezer do tipo cervejeira, com vários rótulos nacionais e importados. Se você quiser se aventurar no mundo das cervejas especiais ou só dar uns bons gole para relaxar, lá tem e é baratinho.
Subindo as escadas, cada quarto tem o nome de alguma figura importante na construção de Brasília: o arquiteto Oscar Niemeyer, o urbanista Lúcio Costa, o engenheiro Joaquim Cardozo, o artista Athos Bulcão e o paisagista Burle Marx. São quatro quartos, onde se dividem os 38 leitos disponíveis. Cada um deles tem uma peculiaridade e uma cor predominante.
Meu quarto foi o Burle Marx, verde, que fica no 2º andar. O quarto era exclusivamente feminino e tem 8 camas, cada uma equipada com tomada e luz de leitura. Varanda, armários individuais e ar condicionado completavam o ambiente, que eu dividi com 7 meninas fantásticas. Até secador de cabelos disponível e amenities no banheiro eu encontrei. Uma sofisticação em albergues!
Agora eu volto pro começo do texto e explico o motivo de eu ter começado esse post falando de relação entre custo e benefício. Acredite: você não gasta mais que 70 reais para se hospedar na suíte feminina do Hostel 7 (preços de 2016). Uma cama no quarto misto com 12 leitos custa 60 reais. É muito barato, principalmente se você puser na ponta do lápis tudo o que ele oferece. Por esse preço, em Brasília, você só encontra uns moquifos. Nada que se compare, nem de longe, com o Hostel 7!

As kombis estão em todo canto.
Juntando Mochilas só tem a agradecer a simpatia do Staff, que foi puro luxo! Não tem como não se sentir em casa! Desde os donos Alfredo, André, Aurélio, Danilo e Eldon, passando pelos recepcionistas até o pessoal da limpeza, todo mundo muito gentil, alegre e disposto a ajudar. Dava pra sentir o carinho em tudo ali dentro. O carinho em servir bem e em fazer da sua estada uma experiência inesquecível. É isso que eles chamam de Experiência Hostel 7, e que eu recomendo de olhos fechados! Agradecemos ao apoio dado durante nossa estadia em Brasília.

Em tempo, além do Hostel 7 Brasília, a rede conta também com o Hostel 7 Goiânia, que você confere nas fotos abaixo. Se você quiser curtir a capital de Goiás com tudo de gostoso que ela tem a oferecer (Vai por mim!), você não se arrependerá de se hospedar na unidade goiana. Sem contar que é pertinho, né? São menos de 200Km. Dá pra conhecer duas capitais na mesma viagem. Eu, se fosse você, não perderia a oportunidade!
Fachada do Hostel 7 em Goiânia

Animação com show de rock no deck da piscina em GYN.

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.

Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso.



Nívia Gouveia
é jornalista, travel-writer e professora de língua portuguesa. Mochileira convicta, leitora incurável, sonhadora juramentada, ela pertence a uma linda labrador chocolate chamada Shakira.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo