segunda-feira, 27 de maio de 2013

Roteiro de viagem 03: Onde economizar


O grande desafio de uma viagem é sempre fazer o dinheiro render
Entre pesquisas e conversas com viajantes, mundo afora e internet adentro, dá pra notar que o fator financeiro é o que mais pesa na hora de viajar e, dependendo de sua amplitude, pode inviabilizar o sonho de cair na estrada. Por isso, dedicamos esse artigo para avaliar alguns aspectos financeiros sobre viagens e fazer com que você estabeleça um orçamento sem desperdícios.
Lembrando do artigo anterior, o escopo não trará grandes dificuldades para ser definido, porque será motivado pelo próprio desejo, e sua criação se dará de forma natural (você precisará cortar alguns itens devido a empolgação). O tempo de viagem em muitos casos já esta fixado naquele acordo de férias feito com a empresa, ou nos seis meses entre o término do ensino médio e o início da faculdade, isso para citar alguns exemplos. Os riscos surgirão espontaneamente à medida que o planejamento for se consolidando. O custo da viagem acaba por se tornar o item de maior reflexão na fase de planejamento.

Domine Pareto

Se você tiver familiaridade com a área de administração ou gestão empresarial, deve ter ouvido falar no Diagrama de Pareto. Não precisamos entrar em detalhes, mas seu princípio é bastante simples: No conjunto de itens que compõem um orçamento, uma pequena parte deles será responsável por grande parte dos custos. O melhor exemplo para o nosso caso é a passagem de avião.
Na grande maioria dos casos, a passagem é a grande vilã dos orçamentos de viagem chegando a custar até metade de todos os gastos. Por outro lado, os valores a serem desembolsados com lembrancinhas tem um peso bem insignificante nas despesas. Logo, se você dedicar mais tempo buscando economizar 10% na passagem aérea, ganhará bem mais do que economizando a mesma porcentagem no valor das lembrancinhas.
Diagrama de Pareto: Veja que, nesse exemplo, o transporte e a alimentação correspondem a 72% do orçamento (curva em vermelho)
Com base nos itens definidos no escopo, vamos analisar cada um em seu aspecto financeiro:

a)     Passagem: Maior peso nos orçamentos por excelência, tendo como carro chefe as passagens aéreas. Contudo, os tickets de trem e locação de carro também puxam esses valores para cima. Nesse quesito, vale pesquisar bastante dentre as companhias de viagens e sites que comparam várias companhias (como o Decolar e o Zupper). Se você tiver flexibilidade com datas ou mesmo do local de embarque e desembarque, ajudará bastante. Se sua flexibilidade for além, pode aguardar uma boa promoção como as que ocorrem nos períodos do ano de menor demanda. Na modalidade terrestre sempre compare os valores entre trem, ônibus e locação de veículo, e veja o mais adequado ao seu tipo de viagem, não só pelo valor, mas também pela comodidade. Vale encarar alguns roteiros dentro da cidade a pé, quando próximos. Sua carteira agradece e sua saúde também.

Leia também: Dicas "nível avançado" para juntar minhas
                         Milhas à parte

b) Hospedagem: Muitas vezes na vice-liderança, as hospedagens tem uma grande parcela de contribuição nos gastos, mas com tantos sites de pesquisas que comparam preços dos mais variados hotéis, pousadas e albergues, a busca fica mais fácil. Sempre que possível, vale evitar altas temporadas e datas festivas quando for procurar um lugar. Hospedagens mais afastadas do centro turístico também são mais baratas, mas isso encarece o gasto com transporte e deve ser levado em consideração quando a cidade não dispõe de eficiente transporte público. Considere alugar um apartamento quando a estadia for longa, ou, se for muito curta, sondar a casa de um amigo que mora na cidade. Outra opção para os mais descolados é o Couchsurfing, rede social de oferta e procura por hospedagem nas casas dos membros. Porém, para ser bem cotado na rede, você também deve receber pessoas eventualmente. Além de gratuito, existe a oportunidade de conhecer gente que pode lhe dar dicas valiosas.
                         
c) Alimentação: Pode ter um peso maior se fizer todas as refeições em restaurantes, mas se incluir refeições em mercados públicos, parques, ruas, ou mesmo cozinhando no albergue comida comprados em supermercado, a coisa muda. Veja onde os habitantes costumam comer e conseguirá comida gostosa a preços honestos. Mesmo quando comer em restaurantes evite aqueles que estão em região de grande demanda turística. Normalmente são lotados, caros e a comida não é boa. E lembre sempre de ver se o local em que está hospedado tem café da manhã incluso. Pagar um pouco mais caro pela diária pode compensar.

d)   Diversão: Geralmente esse item não pesa se sua viagem for bem focada em visitar lugares históricos, paisagens e coisas do tipo, mas, se quiser cair na noite de Miami ou Ibiza, esse ponto merece atenção. Festivais, shows e eventos específicos devem ser ponderados no orçamento quando fizerem parte do planejamento. Não se esqueça de incluir o valor da bebedeira, que pode ser feita antes de entrar na boate ou mesmo comprada no supermercado. Ingressos comprados antecipadamente podem trazer bons descontos.

e)  Compras: Seu peso também depende do foco da viagem. Procure pesquisar antes o valor dos objetos do desejo, para deixar o dinheiro separado. Se o foco principal da viagem for realmente comprar, veja lugares tradicionais para tal. Se desejar um produto específico, procure regiões cuja disponibilidade do mesmo favoreça ótimos preços. Vale também considerar as épocas de desconto como o período de Rebajas na Espanha e as promoções pós-natal em Londres.

f)  Passeios: Dificilmente esse item irá ofender seu orçamento. Entradas em museus não pesam muito, mas isso pode mudar se você for fazer alguma excursão ou passeio mais prolongado. Mesmo que não precise dedicar tanto tempo para esses custos, separe-os de forma estimada para não aparecer um vazio na sua carteira, principalmente em orçamentos limitados. E lembre-se: quase todas as cidades turísticas europeias possuem um passe que dá direito a transporte público urbano e entrada em um determinado número de museus e atrações. Vale a pena procurar!
Bar em Tarragona, Espanha. Dono coleciona notas de todos os lugares do mundo na parede acima do balcão

Leia também:

Roteiro de viagem 01: Escolhendo o destino
Roteiro de viagem 02: O planejamento
Roteiro de viagem 04: A execução

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.
Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso.

José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo