segunda-feira, 13 de maio de 2013

Roteiro de viagem 02: O planejamento


Planejar com essa vista fica fácil (Pipa/RN)
Brasileiro não planeja. Não costumamos listar os gastos que teremos no mês, compramos sem saber se poderemos pagar. Infelizmente, esse hábito se reflete até nos projetos de vida maiores como a compra da casa ou de um carro. Quem tem uma vida financeira conturbada, deve tentar planejar melhor os gastos. Se seu desejo de viajar é grande, que tal aprender a planejar em uma atividade tão prazerosa quanto essa?
O planejamento será seu aliado e evitará surpresas durante sua jornada. De posse das informações sobre os locais onde pretende ir, você poderá antecipar situações, destinar o tempo necessário, os custos e os problemas que poderão ocorrer para trazer na bagagem apenas as boas recordações e experiências.
Certamente você encontrará gente que fez uma viagem sem um bom planejamento, e que terá dado certo, assim como uma pessoa que joga dominó pode ganhar uma partida sem ser bom jogador. Um bom planejamento não é a garantia de sucesso de sua viagem, mas lhe dará uma vantagem estatística de que tudo sairá da melhor forma. Logo, escolhido o roteiro  (como detalhamos no primeiro artigo desta série) devemos elaborar um planejamento de viagem. Para tal vamos dividi-lo em quatro grandes pilares: escopo, tempo, custo e riscos.

1.               Escopo

O escopo da viagem terá  todos os elementos que podem ser materializados em forma de ação. Cidades a visitar, carros a alugar, refeições que serão feitas, um cassino a ser visitado ou aquela garrafa de vinho que seu sogro pediu. O detalhamento do escopo varia bastante de viagem para viagem e na maioria dos casos, pode ser resumido nos seis itens abaixo:
a)  Transporte: Passagens aéreas, trem, carros, bicicleta, moto ou mesmo trajetos a pé entram aqui. Liste todos dos deslocamentos possíveis desde um país para o outro até entre dois pontos dentro de uma cidade.
b)  Hospedagem: Se você for dormir em um hotel de luxo ou no posto de gasolina, tanto faz. O importante é destacar o local que será seu dormitório entre um dia e outro.
c)  Alimentação: Os restaurantes estão aqui, mas não só eles. Comidas de rua e compras de supermercado para fazer aquele jantar na cozinha do hostel não podem ficar de fora.
d)  Passeios: City tours e museus entram nessa lista, e você não pode esquecer nem mesmo daquela rua típica que deseja visitar. Liste todos os locais e eventos importantes que estão no seu roteiro.
e)  Compras: O brasileiro tem o hábito de fazer compras quando viaja e é aqui que esse hábito é apontado. Mesmo que você não faça parte desse grupo compulsivo, sempre considere a possibilidade de trazer lembranças para você e seus amigos.
f)   Diversão: Aqui estarão os itens relacionados aos clubs e boates, mas também considere incluir aquela cerveja do bar se tiver esse hábito.

Mas cuidado com o grau de detalhamento. Você não precisa listar que vai tomar aquele sorvete italiano quando estiver em Roma. Deixe as “miudezes” anotadas em separado.

2.  Tempo

De posse do escopo você definirá o tempo necessário para se dedicar/aproveitar cada um dos itens. Alguns são bem definidos como os city tours, já o tempo que você vai curtir uma praia fica a seu critério. Relacione-os ao lado de cada item do escopo, com base nas informações que você pesquisar ou mesmo já tenha conhecimento.  Flexibilize os tempos sempre que necessário, pois atrasos em voos podem ocorrer, sem falar que você tem que chegar com antecedência em alguns lugares. Ah! Tempos livres são muito úteis se você não quiser curtir o parque da cidade com hora marcada.

3.               Custo

A partir do mesmo escopo, você listará os gastos de cada item. Mais uma vez, cuidado com o detalhamento excessivo. Pegando novamente o exemplo do sorvete, não se faz necessário pesquisar quanto ele custa e colocar no orçamento. Aqui a noção de o que é importante ou não também será fundamental. Separe os custos das passagens, os passeios, a entrada do show e o preço daquele gadget que você quer trazer.
Alguns gastos não há como determinar e terão que ser arbitrados como, por exemplo, o custo de alimentação por dia. Mas não pense que terá que chutar o valor, pois alguns sites e até guias de viagem trazem estimativas confiáveis. Nessa lista é importante não só definir os valores que serão desembolsados durante a viagem, mas também antes dela, como uma possível compra de mochila. Não esqueça de deixar uma folga no orçamento para pequenos gastos, como o danado do sorvete italiano.
Como são gostosos os sorvetes italianos

4.               Riscos

Antes de qualquer coisa, um aviso: por mais que se planeje tudo nos mínimos detalhes, sua viagem vai dar errado. Calma, essa não é a hora de desistir de embarcar e sim de aprender que planejamentos são passíveis de mudanças e isso é absolutamente normal. É impossível prever com exatidão tudo o que ocorrerá e você terá que ajustar as coisas que fugirem do esperado.
Bom, não queremos deixar ninguém paranoico com tudo isso. O que tem que ser feito é levantar possíveis imprevistos e como minimizá-los ou, na melhor das hipóteses, eliminar a chance de que ocorram. Um bom exemplo é o seguro viagem que, além das questões médicas, em alguns casos cobre até atraso em voo, extravio de bagagem e custos com óbito.
Óbvio que não queremos que sua viagem termine assim, mas é sempre bom estar preparado. Considere a possibilidade de desastres naturais, perda do trem, assalto ou excesso de bagagem, e qual ação a ser tomada frente a isso. Não espere que uma dor de dente a 5.000km de distância do seu médico lembre que você deveria ter feito uma consulta antes, ou um seguro.

Uma balança de quatro bandejas

Apesar de parecerem distintos, os quatro pilares acima estão intimamente ligados. Você notará que uma mudança em um item levará a uma reação em cadeia, onde os demais também sofrerão modificação. Logo, treine esse equilíbrio e vá alterando seu planejamento à medida que for necessário, até chegar num ponto de equilíbrio.
Pode parecer tudo complicado e amedrontador para quem não está acostumado com planejamento, mas quando você começar a ler sobre os locais que deseja conhecer, conversar com pessoas em fóruns e ver fotos nos guias, vai descobrir que sua viagem já começou!

Leia também: 

Roteiro de viagem 01: Escolhendo o destino
Roteiro de viagem 03: Onde economizar 
Roteiro de viagem 04: A execução

E não esqueça de fazer sua cotação de seguro de viagens com o nosso parceiro Real Seguros. É mais barato do que você imagina e, comprando em nosso link de vendas, você ajuda nosso blog a se manter vivo sem gastar nada a mais com isso. Clique aqui e saiba mais.
Se busca por hospedagem, pesquise em nosso buscador do Booking. O site, que também é nosso parceiro, para ao blog uma comissão por hospedagem fechada que são pesquisadas no box presente em nosso site, ou seja, mais uma ajudinha que você nos dá sem precisar desembolsar nada a mais por isso.

José Jayme
engenheiro civil, travel-writer, nerd de carteirinha, amante da boa comida e esportes em geral. Colaborador do guia e portal O Viajante.
Comentário(s) pelo Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário


Um casal de viajantes que resolveu juntar as mochilas e compartilhar suas aventuras de estrada.
Saiba mais sobre nós (+)

 
Juntando Mochilas © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo
design + código gbml